Plástico ou comida? – As novas embalagens sustentáveis

Plástico ou comida? – As novas embalagens sustentáveis

Cientistas do mundo inteiro estudam substitutos ecológicos para o plástico e o isopor. Por ano mais de 80 toneladas de isopor é produzido no Brasil e só 8% disso é reciclado.

A Coca-Cola produz garrafas com 30% de matéria-prima vinda de cana de açúcar desde 2010. Essas garrafas parcialmente vegetais reduzem a dependência do petróleo usado na fabricação do plástico e diminuem as emissões de gás carbônico, principal causador do efeito estufa. A Coca garante ainda que não utiliza cana de áreas de plantio destinadas à produção de alimentos. Afinal, qual seria o ganho em produzir algo sustentável ao meio ambiente, mas às custas da fome da população?

Em Harvard, foi desenvolvido um bioplástico feito com cascas de camarão. Para isso utiliza-se a quitosana, que possui quitina, um polissacarídeo resistente, presente no exoesqueleto do camarão. A vantagem do uso de cascas é que elas já são geralmente descartadas pela indústria. Esse plástico é resistente, transparente, reciclável e biodegradável. Além disso, libera nutrientes para as plantas, quando descartado no solo.

Plástico camarão

Outra novidade é o substituto para o poliestireno expandido, mais conhecido como isopor (esferovite, em Portugal).  Criado por uma estudante do ensino médio no Brasil, é feito fibra de cana de açúcar. Enquanto o isopor demora até 100 anos para se decompor no meio ambiente, sua versão vegetal demora apenas um mês para se desfazer.  O projeto foi premiado nos EUA e agora aguarda patente. Ela espera que alguma empresa se interesse pela produção em escala.

Isopor e plástico cana de açúcar

Para diminuir o lixo, o asfalto da VolkerWessels, empresa holandesa, é feito inteiramente com plástico reciclável. Entre as vantagens: redução do uso de matérias-primas de petróleo, diminuição da poluição gerada na produção de asfalto e a baixa necessidade de manutenção.  O material suporta ainda grandes variações de temperatura, é leve e sua instalação é mais rápida que a convencional. Também é oco, para a passagem de cabos e encanamentos sob a superfície.

Asfalto plástico

Esperamos que logo essas novidades sejam a regra e não mais a exceção no mercado.

Referências: Rumo Sustentável, Rede Globo, Exame, Minas Sem Lixões, Exame

Post signature_PT

COMMENTS

WORDPRESS: 2
%d blogueiros gostam disto: