Diarréia mata. A inovação quer ganhar essa guerra

Diarréia mata. A inovação quer ganhar essa guerra

Sabia que todos os anos 1,5 milhões de crianças com menos de 5 anos de idade morrem com diarréia?

Estima-se que 443 milhões de dias de aula sejam perdidos pelas crianças com doenças infecciosas. 40% dessas doenças são transmitidas na escola. SoaPen é um sabonete-caneta que vai melhorar a lavagem das mãos das crianças e diminuir assim a incidência de doenças e da diarréia. Um grupo de estudantes venceu o concurso do Unicef Wearables for Good com essa invenção. O sabonete é de baixo custo e fácil montagem.

Montagem SoaPen - diarréia

É ideal para os professores desenharem nas mãos infantis. A tarefa das crianças é lavar as mãos até que a tinta saia. O SoaPen ainda conta com um aplicativo para smartphones direcionado aos professores, com dicas de higiene para ensinarem as crianças.

Uma fonte de bactérias são nossos smartphones. Segundo estudo da Universidade de Stanford, as telas dos telefones acumulam mais germes que a descarga de um banheiro público (ou o autoclisma de uma casa de banho, em Portugal). A Kyocera Corp., fabricante japonesa, lançou o primeiro telefone que pode ser lavado com água e sabão e pode ser levado para o banho. Também é resistente a quedas. Não sei você, mas é o que eu mais preciso, um aparelho resistente a mim!

Celular lavável - diarréia

Outra arma eficaz no combate aos germes é a luva cirúrgica biossensível. Ela é reage com E. coli, bactéria patogênica, assim a palavra “contaminado”, impressa em sua superfície, muda da cor azul para vermelho. Para chegar a essa fórmula, foi usada proteína purificada de seda. Os pesquisadores também vão testar outras substâncias para que a luva possa reagir seletivamente a diferentes bactérias.

Luva biossensível - diarréia

Para fechar nossa seleção, outro local bastante sujo são as maçanetas. Imagine quantas pessoas abrem as portas de um sanitário num shopping com as mãos sujas, mas a limpeza nunca chega às maçanetas. Pensando nisso, estudantes de uma escola em Hong Kong criaram uma maçaneta que se esteriliza sozinha. Os criadores, fizeram a maçaneta com óxido de titânio, material bastante utilizado no tratamento de água por suas propriedades bactericidas. Além disso há um cilindro de vidro que emite raio UV, completando o processo. Para ficar ainda melhor, o dispositivo é auto-suficiente, o próprio movimento de abertura da porta gera energia para manter a maçaneta funcionando.

Maçaneta - diarréia

Brilhante, não é mesmo?

COMMENTS

WORDPRESS: 0